Arquivo

Posts Tagged ‘perder peso’

Desafio: 60 repetições.

O treino de hoje é composto por apenas um exercício e nosso desafio será contra o relógio. Você irá fazer 60 repetições de Side Burpee para cada lado no menor tempo possível. Você poderá descansar entre os exercícios ou quando achar necessário, porém não pare o relógio, pois nosso objetivo é obter o menor tempo, por isso procure descansar o mínimo possível sempre respeitando seus próprios limites. Procure intercalar em média 30 repetições para cada lado. Se possível complete o treino com 20 minutos de exercício aeróbico (pular corda, correr ou caminhar)

Assista ao vídeo e veja a variação para os iniciantes.

Não se esqueça: Antes de iniciar qualquer atividade física procure um médico e um profissional de educação física.

Deixe seu comentário e bom treino a todos!

Adaptado: BodyRock.tv

Dica: Corrida no parque.

Não se esqueça: Antes de iniciar qualquer atividade física procure um médico e um profissional de educação física.

Deixe seu comentário e bom treino a todos!

Alimentos que Emagrecem!

Metabolismo e Emagrecimento: Entenda um pouco mais!

Suplemetos para “perder” peso.



O fim do inverno já leva as pessoas a se preocupar com o corpo para o verão.

Perder peso imediatamente é o que muitos dizem. Porém, ao utilizar suplementos ou medicamentos para perder peso é fundamental a recomendação médica.

O ideal é procurar adotar uma postura permanente de controle do peso corporal, com uma dieta balanceada e com uma diversidade de alimentos que são essenciais a boa saúde.

Alguns dos suplementos comumente utilizados para perder peso são:

Carnitina – Por recrutar a gordura (lipídios) dentro da célula, teoricamente a carnitina ajudaria a facilitar a “queima” da gordura durante a pratica de atividade física. Na prática, estudos não conseguem comprovar a eficiência da substância na utilização da gordura corporal como fonte de energia principal das atividades físicas.

 Efedrina – espécie de anfetamina, a efedrina é uma droga que acelera o metabolismo e por isso é associada à perda de peso. O consumo de efedrina leva a dependência, por isso seu uso é proibido.

Energéticos – algumas pessoas utilizam elementos energéticos, como a cafeína, pó de guaraná, entre outros, como suplemento para perder peso. Na realidade, esses alimentos aumentam o metabolismo, e por conseqüência, aumentam o consumo de energia.

Queimando mais energia se queima mais gordura, os cuidados porém, devem estar relacionados aos efeitos colaterais, a má qualidade do sono e da alimentação que podem prejudicar o treinamento e a saúde. 

Diuréticos – muito utilizado por atletas de artes marciais em véspera de competição para perder muito peso em pouco tempo, são muito prejudiciais pois, afetam o equilíbrio das funções corporais e o seu uso reiterado, pode trazer prejuízos ao sistema renal.

Devemos lembrar, para perder peso, a regra é simples, gastar mais do que ingerir.

Tenha uma alimentação menos calórica e invista em atividades física regulares, pelo menos 5 vezes na semana e com mais de 30 minutos de duração.

Mais informações, procure um profissional de Educação Física.

Fonte: Professor Evandro

Desafio: 12 minutos

O treino de hoje é bastante rápido dura apenas 12 minutos, porém é bastante intenso. Ele é composto por um circuito de quatro exercícios e você irá precisar apenas de um relógio. Procure fazer o máximo de repetições de cada exercício a cada 50 segundos. Para maior controle anote quantas repetições você conseguirá completar no tempo estipulado. Para cada 50 segundos de exercício você terá 10 segundos de descanso (utilize esse tempo para as anotações). O objetivo é completar o circuito de exercícios três vezes.

Vamos ao treino!

1. Santana Push Up (Lado esquerdo)

2. Half Burpee

3. Santana Push Up (Lado direito)

4. Jump Lunge

 Não se esqueça: Antes de iniciar qualquer atividade física procure um médico e um profissional de educação física.

Deixe seu comentário e bom treino a todos!

Adaptado: BodyRock.tv

Adoçantes: Mitos e Verdades

Aspartame – alternativa quase sem calorias ao açúcar, com poder adoçante 200 vezes superior ao do açúcar natural. Além de perder o sabor quando submetido a temperaturas superiores a 120ºC, assim que penetra no sistema digestivo, libera dois aminoácidos (ácido aspártico e fenilalanina e  metanol), que não são metabolizados por portadores de uma deficiência genética chamada fenilcetonúria.

Muito utilizado em refrigerantes e bebidas em geral, além de gelatinas, sobremesas congeladas, cereais matinais e doces em geral, o aspartame vive uma polêmica quanto á sua toxicidade. Enquanto alguns estudos apontam uma conexão do adoçante com a morte de neurônios e o aparecimento de câncer em ratos, outros vão à direção contrária, garantindo que o adoçante é completamente seguro para consumo, sendo aprovado pelos órgãos reguladores dos Brasil e EUA, entre outros.

Sacarina – considerado o primeiro dos adoçantes artificiais, é quase 500 vezes mais doce que o açúcar comum. Como não é metabolizada pelo corpo, não tem calorias. Mas vem carregada de desvantagens: seu uso já foi associado ao aparecimento de câncer, especialmente o de bexiga. Por isso, os Estados Unidos tentaram banir o adoçante e obrigaram os produtos que continham sacarina a apresentar uma tarja avisando tratar-se de produto que havia apresentado sinais cancerígenos. Esse alerta foi retirado em 2000, por falta de comprovação científica. Mesmo assim, o uso desse produto caiu consideravelmente em todo o mundo e, até hoje, não é recomendada sua utilização por grávidas.

Sucralose – cerca de 600 vezes mais doce do que o açúcar, é o único adoçante derivado do açúcar comum e, como também não é metabolizado pelo corpo, não contém calorias. É muito utilizado em alimentos e bebidas de baixas calorias, com a vantagem de que suporta altas temperaturas sem perder o sabor. O adoçante também já foi suspeito de causar câncer, mas nenhuma evidência que apontasse seus malefícios foi comprovada.

Stevia – este adoçante natural é extraído de uma planta originária da Serra do Amanbaí, na fronteira do Brasil com o Paraguai. Cerca de 300 vezes mais doce do que o açúcar comum, é considerado sem toxicidade ao organismo. Pesquisas mostram que é uma boa arma no combate a obesidade e doenças cardíacas, podendo ser usado por diabéticos sem problemas. Sua grande desvantagem é o forte sabor amargo que deixa gosto um residual desagradável após a utilização. Além disso, há indicações de que possa ter efeito anticoncepcional uso descoberto pelos indígenas.

Frutose – açúcar encontrado principalmente nas frutas, mas também nos cereais, vegetais e mel. Por ser metabolizada no fígado, sem a presença de insulina, é bastante usada na fabricação de alimentos para diabéticos. Também utilizada por atletas, pessoas com problemas gástricos e cardíacos e por quem procura emagrecer. O único alerta é que essa variação de adoçante contém calorias e, dependendo da quantidade, pode engordar.

Acesulfame – outro adoçante não metabolizado pelo organismo, 200 vezes mais doce do que o açúcar comum. Resistente a altas temperaturas, é usado em bebidas alcoólicas, adoçantes líquidos, bolos, sobremesas congeladas e tortas, entre outros. Seu uso, contudo, chegou a ser suspenso em 1988: testes em laboratórios norte-americanos levaram animais a desenvolverem tumores benignos e problemas de tireóide. Entretanto, a falta de provas científicas concretas levou o acesulfame de volta ao mercado. Com sabor residual parecido com a glicose, não é recomendado para pessoas que precisem limitar sua ingestão de potássio.

Ciclamato – cerca de 50 vezes mais doce que o açúcar, é muito utilizado como adoçante na indústria de alimentos e bebidas. Resistente a altas temperaturas, costuma deixar um gosto residual forte na boca e também não é metabolizado pelo corpo, sendo de baixíssima caloria. Contudo, suas desvantagens são grandes: seu uso é proibido nos Estados Unidos e países como Japão e França por seus efeitos cancerígenos. Mas alguns países alegam a falta de provas concretas e liberam o comércio, como é o caso do Brasil e mais outros 50 países.

Xilitol, Sorbitol e Manitol – adoçantes criados a partir da redução da glicose (sorbitol) e da frutose (manitol) e também pela hidrogenação da xilose (xilitol). São calóricos: cada grama contém 4 kcal. Mas, por não causarem cáries, têm sido amplamente empregados pela indústria na produção de goma de mascar e balas.

Adaptado de: Perdendo Peso